terça-feira, 28 de dezembro de 2010

PROJETO CURTA NAS TELAS EXIBE CURTA SOBRE A CANTORA DE BARES CARIOCA ÁUREA MARTINS


O projeto Curta nas Telas apresenta, de 7 a 20 de janeiro de 2011, o curta ÁUREA, de Zeca Ferreira, na sala 08 do Unibanco Arteplex, nas sessões das 14h, 16h30, 19h e 21h30, acompanhando o longa ABUTRES (Carancho), de Pablo Trapero. No dia 08 de janeiro (sábado) também às 24h.

ÁUREA é o segundo dos 12 filmes selecionados na 36ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição. Zeca Ferreira, que já havia realizado um curta sobre o grupo de samba paulistano Terreiro Grande e trabalhado como assistente de direção e produção em três filmes de Nelson Pereira dos Santos, neste trabalho aborda a vida da cantora carioca Áurea Martins, em um misto de documentário e encenação que conquistou até agora 11 prêmios em festivais no Brasil, incluindo quatro no Cine-PE 2010: Melhor Curta-Metragem Digital; Melhor Montagem (Luelane Corrêa); Prêmio Especial do Júri pela Fotografia e Prêmio da Crítica.

Nascida no Rio de Janeiro, a cantora Áurea Martins iniciou sua carreira artística na década de 60. Ao longo desses anos, Áurea tem se apresentado em casas noturnas, participou de festivais e dos songbooks Tom Jobim (Se é Por Falta de Adeus) e Chico Buarque (Atrás da Porta), além de outros Cds, como Ivor Lancellotti (Quando Essa Paixão Me Dominar), A Lua e o Conhaque, de Délcio Carvalho (Melancolia), entre outros. Em 2003, lançou Áurea Martins, seu primeiro CD.
ÁUREA, de Zeca Ferreira (Rio de Janeiro, ficção / documentário - ficção, 16 minutos, HDcam, 2009) – Classificação indicativa 10 anos.

Sinopse: Festa acabada, músicos a pé...

Ficha Técnica – Roteiro e Direção: Zeca Ferreira / Produção Executiva: Maria Holanda e Marta Paiva / Direção de Fotografia: Pedro Urano / Montagem: Luelane Corrêa / Elenco: Áurea Martins, Zé Maria Rocha, Leila Rocha, Virgínia Menezes, Deli Alves, Ney Sant´Anna, Lu Simões e Terra Trio.

Sobre o Curta nas Telas
O projeto Curta nas Telas é fruto de um convênio entre a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, o Sindicato das Empresas Exibidoras do Rio Grande do Sul e a Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul e Brasileira de Documentaristas (APTC – ABD/RS). Seu objetivo é divulgar a produção nacional de curtas-metragens, por meio da exibição dos filmes selecionados no circuito de cinemas de Porto Alegre. Em 35 edições do projeto, foram exibidos 237 curtas de todo o Brasil.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Dossiê Rê Bordosa segue até dia 30, na Sala 1 do GNC Moinhos

O projeto Curta nas Telas segue exibindo, até o dia 30 de dezembro de 2010, o curta de animação DOSSIÊ RÊ BORDOSA, de Cesar Cabral, na Sala 01 do GNC Moinhos, nas sessões das 19h e 21h45, acompanhando as exibições do longa O Garoto de Liverpool (Nowhere Boy), de Sam Taylor-Wood.

aqui, os bastidores da filmagem


DOSSIÊ RÊ BORDOSA é o primeiro dos 12 filmes selecionados na 36ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição.

Documentário em animação que investiga as razões por trás da decisão do cartunista Angeli de matar uma de suas mais famosas criações, a diva underground Rê Bordosa, com direção de César Cabral e roteiro de Carla Gallo e do próprio Cabral. O curta ganhou vários prêmios nos principais festivais pelo Brasil em 2008, tais como o Anima Mundi, Amazonas Film Festival, Festival do Paraná de Cinema Brasileiro e Latino e também festivais internacionais Brazilian Film Festival of Miami 2009, Festival de Cinema de Viña del Mar, Los Angeles Brazilian Film Festival 2009.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Rê Bordosa dá início à 36ª edição do Curta nas Telas

O projeto Curta nas Telas apresenta, de 17 a 30 de dezembro de 2010, o curta de animação DOSSIÊ RÊ BORDOSA, de Cesar Cabral, na Sala 01 do GNC Moinhos, nas sessões das 19h15 e 22h, acompanhando as exibições do longa Um Homem Misterioso (The American), de Anton Corbijn.

DOSSIÊ RÊ BORDOSA é o primeiro dos 12 filmes selecionados na 36ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição. Documentário em animação que investiga as razões por trás da decisão do cartunista Angeli de matar uma de suas mais famosas criações, a diva underground Rê Bordosa, com direção de César Cabral e roteiro de Carla Gallo e do próprio Cabral. O curta ganhou vários prêmios nos principais festivais pelo Brasil em 2008, tais como o Anima Mundi, Amazonas Film Festival, Festival do Paraná de Cinema Brasileiro e Latino e também festivais internacionais Brazilian Film Festival of Miami 2009, Festival de Cinema de Viña del Mar, Los Angeles Brazilian Film Festival 2009.


DOSSIÊ RÊ BORDOSA, de Cesar Cabral (São Paulo, animação, 16min, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 14 anos


Sinopse – Fama? Ego inflado? Espírito de porco? Quais os reais motivos que levaram o cartunista Angeli a matar Rê Bordosa, sua mais famosa criação? Este documentário em animação investiga este vil crime.

Ficha Técnica – Direção e Animação: Cesar Cabral / Roteiro, Edição e Montagem: Cesar Cabral e Leandro Maciel / Produção Executiva: Carol Scalice / Direção de Fotografia: Marcelo Trotta / Dublagem: Paulo César Pereio, Grace Gianoukas e Laert Sarrumor / Locução: Lena Whitaker e Odayr Baptista / Entrevistados: Tales Ab’Saber, Paula Madureira, Angeli Laerte Coutinho, Toninho Mendes e Márcia Aguiar.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Selecionados na 36ª edição

A 36ª Edição do Curta nas Telas contou com 57 filmes inscritos e a Seleção foi realizada em 15 de outubro de 2010, por Marcus Mello, representando a Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre; Hiron Goidanich, representando o Sindicato das Empresas Exibidoras do Rio Grande do Sul; Cristiane Reque, representando a Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul e Brasileira de Documentaristas (APTC – ABD/RS); Caroline da Silva, representando a Imprensa Especializada; e Jorge Barcellos, representando a Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

As exibições dos curtas selecionados nesta Edição entrarão em cartaz a partir de dezembro de 2010. Aguarde divulgação e confira os filmes selecionados.

FILMES SELECIONADOS NA 36ª EDIÇÃO DO CURTA NAS TELAS

ADRO DA CANDELÁRIA, de Alexandre Guerreiro (Rio de Janeiro, documentário, 15 minutos, 35mm, 2007) – Classificação indicativa 12 anos.

Sinopse: No entorno da Candelária, uma bailarina, um marceneiro, um massacre, a experiência de quem trabalha com crianças em situação de risco social no Rio de Janeiro.

Ficha Técnica – Roteiro, Direção e Produção: Alexandre Guerreiro / Direção de Fotografia: Juarez Pavelak / Direção de Produção: Renata Palheiros/ Empresa Produtora: Ela Filmes Ltda.

Premiação: Troféu Jangada – Festival Guarnicê 2007.

AUREA, de Zeca Ferreira (Rio de Janeiro, ficção / documentário - ficção, 16 minutos, HDcam, 2009) – Classificação indicativa 10 anos.

Sinopse: Festa acabada, músicos a pé...

Ficha Técnica – Roteiro e Direção: Zeca Ferreira / Produção: Maria Holanda e Marta Paiva / Direção de Fotografia: Pedro Urano / Elenco: Áurea Martins, Zé Maria Rocha, Leila Rocha, Virgínia Menezes, Deli Alves, Ney Sant´Anna, Lu Simões e Terra Trio.
Premiação: Melhor Filme, Melhor Montagem, Prêmio Especial do Júri pela Fotografia e Prêmio da Crítica no Cine PE 2010 – Competição de Curtas Digitais / Melhor Trilha Sonora (vídeo) no FAM - Florianópolis 2010 / Melhor Filme e Melhor Fotografia no Festival de Cinema Digital de Jericoacoacara.

BALA PERDIDA, de Victor Lopes (Rio de Janeiro, suspense, 14 minutos, 35mm, 2003) – Classificação indicativa 10 anos.

Sinopse: Numa tarde de sol, numa praça do Rio de Janeiro, começa um tiroteio. O tempo volta um minuto para revelar as histórias de várias pessoas que testemunham os disparos. São pessoas muito diferentes, todas expostas à trajetória das balas. Qualquer um pode morrer.

Ficha Técnica – Direção e Roteiro: Victor Lopes / Direção de Fotografia: Jacques Cheuiche / Direção de produção René Bittencourt / Empresas Co-produtoras: TvZero e Sambascope / Elenco: Alexandre Rodrigues, Camila Pitanga, Tuca Andrada, José Karini, Letícia Isnard, Emiliano Queiroz, Lucio Mauro, Rogério Cardoso, Danilo Menegale, Fernando José, Hylka Maria,Vinícius de Oliveira, Aramis Trindade, Marcelo Melo e Marta Jordan.

Premiação: Melhor Curta-Metragem, Melhor Direção e Melhor Trilha Sonora no Cine PE – Festival de Recife 2004 / Melhor Filme - Athens Internacional Film Festival - Ohio - EUA, 2004 / Melhor Filme, Melhor Montagem e Favoritos do Público - Festival Guarnicê 2004 / Melhor Roteiro no 6° Festival Internacional de Curtas Belo Horizonte 2004 / Certificado de Mérito - Chicago International Film Festival, EUA, 2004 / Melhor Curta-Metragem no Festival do Rio, Brasil, 2003.


CINE HOLIÚDY - O ASTISTA CONTRA O CABA DO MAL , de Halder Gomes (Ceará, comédia, 15 minutos, 35mm, 2004) – Censura Livre.

Sinopse: Francisgleydson é o proprietário do Cine Holiúdy, um modesto cinema no interior do Ceará nos anos 70. Ele se multiplica nas funções de bilheteiro, lanterninha e projecionista para levar a magia dos filmes de Kung Fu às telas. Um súbito defeito no projetor leva-o ao maior desafio de sua vida: conter os ânimos da enfurecida plateia e, de quebra, contar o restante do filme. Tarefa fácil para o “descolado” Francisgleydson ... se ele tivesse assistido ao filme!

Ficha Técnica – Direção: Halder Gomes / Roteiro: Halder Gomes, Micheline Helena e Thiago Daniel / Direção de Fotografia: Roberto Iuri / Direção de produção: Tito Almeijeiras / Empresas Co-produtoras: Cia. de imagem e ATC Entretenimentos / Elenco: Edmilson Filho, Haroldo Guimarães, Maria Fernanda Mota, Eduardo Rocha, Bolachinha, Amadeu Maia e Pedro Domingues.

Premiação: Melhor Filme no Festival de Curtas de Natal 2005 / Melhor Roteiro no Festival de Curitiba 2005 / Melhor Filme e Melhor Direção de Arte no Festival Mercosul 2005 / Melhor Filme - Júri Popular no Amazonas Film Festival 2005 / Melhor Filme - Júri Oficial no Festival de Cinema de Campo Grande 2005 / Prêmio Júri Popular na 7ª Mostra Brasil Plural (Alemanha, 2005).

DOIDO LELÉ, de Ceci Alves (Bahia, drama, 17 minutos, 35mm, 2009) – Censura Livre

Sinopse: Caetano sonha em ser cantor de rádio na década de 50 e foge todas as noites de casa para tentar, sem sucesso, a sorte num programa de calouros. Até que, uma noite, ele aposta tudo numa louca e definitiva performance.

Ficha Técnica – Direção e Roteiro: Ceci Alves / Direção de Fotografia: Pedro Semanovschi / Produção Executiva: Fátima Fróes / Produção: Vanessa Salles / Elenco: Vinícius Nascimento, Jussara Mathias, Maurício Pedrosa e Nonato Freire.

Premiação: Melhor Filme – Júri Popular na 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis 2010 / Melhor Edição no 5º Festival Latinoamericano de curta-metragem de Canoa Quebrada 2009 / Melhor Ator no 4º Festival do Paraná de Cinema Brasileiro Latino 2009.


DOIS EM UM, de Luís Carlos Soares (São Paulo, drama, 10 minutos, 35mm, 2003) – Classificação indicativa 16 anos.

Sinopse: Um casal de adolescentes apaixonados depara-se com uma situação difícil a caminho da maturidade, a decisão de realizar um aborto.

Ficha técnica – Roteiro e Direção: Luís Carlos Soares / Direção de Produção: Erica Ferreira / Direção de Fotografia: Pedro Ionescu / Empresas Produtoras: Bambu Filmes e Dezenove Som e Imagens / Elenco: Juliana Mesquita, Gustavo Dias e Paula Lopes.

Premiação: Melhor Filme de Ficção – XXXI Jornada Internacional de Cinema da Bahia 2004 / Melhor Filme - Prêmio Cine Favela de Curta Metragem 2005 / Melhor Ator (2º Lugar, para Gustavo Dias) - Prêmio Cine Favela de Curta Metragem 2005.


DOSSIÊ RÊ BORDOSA, de Cesar Cabral (São Paulo, animação, 16min, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 14 anos.
Sinopse – Fama? Ego inflado? Espírito de porco? Quais os reais motivos que levaram o cartunista Angeli a matar Rê Bordosa, sua mais famosa criação? Este documentário em animação investiga este vil crime.

Ficha técnica – Direção e Animação: Cesar Cabral / Roteiro, Edição e Montagem: Cesar Cabral e Leandro Maciel / Direção de Fotografia: Marcelo Trotta / Direção de Produção: Anália Tahara / Modelagem, Bonecos e Cenários: Olyntho Tahara / Dublagem: Paulo César Pereio, Grace Gianoukas e Laert Sarrumor / Locução: Lena Whitaker e Odayr Baptista / Entrevistados: Tales Ab’Saber, Paula Madureira, Angeli Laerte Coutinho, Toninho Mendes e Márcia Aguiar.

Premiação: Melhor Animação Brasileira, Melhor Filme e Prêmio aquisição Canal Brasil no Anima Mundi 2008 / Melhor Direção de Arte no Brazilian Film Festival of Miami 2009 / Melhor Roteiro e Melhor Trilha Sonora no Cine PE 2008 / Melhor Curta - Júri Popular no Curta Brasil - São Paulo Film Commission 2009 / Melhor direção no Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual 2009 / Melhor Animação Internacional no Festival de Cinema de Viña del Mar 2008 / Melhor Montagem e Melhor Roteiro no Festival de Gramado 2008 / Melhor Animação - 3º Lugar no Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano 2008 / Melhor Animação no Los Angeles Brazilian Film Festival 2009 / Melhor Curta - Jurí Oficial no Amazonas Film Festival 2008 / Menção Honrosa no Festival de Cinema de Huesca 2009 / Melhor direção, Melhor Roteiro e Prêmio do Júri Popular no Festival do Paraná de Cinema Brasileiro e Latino 2008.

HOMEM-BOMBA, de Tarcísio Puiati (Rio de Janeiro, drama, 13 minutos, 35mm, 2009) – Classificação indicativa 14 anos.

Sinopse: Duas crianças. Uma guerra. Nenhum vencedor.

Ficha Técnica – Roteiro e Direção: Tarcisio Lara Puiati / Direção de Fotografia: Felipe Sabugosa / Direção de Produção: Paula Lagoeiro e Carlos Alexandre Santos / Empresa Produtora: CAJU Cinema / Elenco: Alex Naftali e Rodrigo Costa.

Premiação: Melhor Filme de Ficção no 9º Santa Maria Vídeo e Cinema / Prêmio Porta Curtas 2010.

NAIÁ E A LUA, de Leandro Tadashi Duarte (São Paulo, ficção, 13 minutos, 35mm, 2010) – Censura Livre.

Sinopse: Uma jovem indiazinha de nome Naiá se apaixona pela lua ao ouvir a anciã de sua aldeia contar a história do surgimento das estrelas no céu. Uma belíssima adaptação da lenda indígena sobre o nascimento da vitória-régia, misturando animação e atores reais.

Ficha Técnica – Direção, Animação, Roteiro e Produção: Leandro Tadashi Duarte / Direção de Fotografia: Thaisa Oliveira / Direção de Produção: Luciana Pilon.


PIMENTA, de Eduardo Mattos (São Paulo, drama, 13 minutos, 35mm, 2010) – Censura Livre.

Sinopse: Interior da Bahia. Anos sessenta. Não fosse a garrafa de pimentas que seu pai ganhara de presente, seria uma tarde qualquer para Zeca. Era uma garrafa linda, mas muito perigosa. Ele tinha que se livrar dela.

Ficha técnica – Roteiro e Direção: Eduardo Mattos / Produção Executiva: Victor A. Biagioni e Juliana Vicente / Direção de Fotografia: Taís Nardi / Empresa Produtora: Preta Portê Filmes / Elenco: Sandra Corveloni, Gustavo Mattos e Eduardo Mello.

Premiação: Prêmio do Público na Jornada Internacional de Cinema da Bahia 2010.


PROPRIEDADES DE UMA POLTRONA, de Rodrigo John (Rio Grande do Sul, animação, 8 minutos, 35mm, 2010) – Classificação indicativa 10 anos.

Sinopse: Em casa de Jacinto as crianças se divertem com as estranhas propriedades de uma velha poltrona, até que a passagem do tempo as faça ver o misterioso móvel com outros olhos.

Ficha Técnica – Roteiro, Direção, Edição e Desenho de Som: Rodrigo John
/ Produção: Fabi Alves, Adriana Hiller e Rodrigo John / Animação 3D: Marco Arruda e Claudio Marzo / Animação 2D e Pintura: Adriana Hiller, Carla Magalhães, Carla Pilla, Luiza Hecker, Leonardo Remor, James Zortéa, Cristiano Oliveira, Pedro Neves, Giovanna Maia, Maurício Añez, Virgínia Simone e Rodrigo John / Vozes: Rico Assoni, Sissi Venturin, Felipe Mônaco, Silvia Schultz e Lefa.


UM LUGAR COMUM, de Jonas Brandão (São Paulo, animação, 10 minutos, 35mm, 2009) – Censura Livre.
Sinopse: Em um lugar comum, a extrovertida Marina e o desajeitado Zezé se conhecem e juntos plantam uma bela árvore, que se torna o símbolo de sua amizade. O filme acompanha o crescimento das crianças e seus desencontros, ao longo dos anos, neste mesmo lugar comum.

Ficha Técnica – Direção: Jonas Brandão / Roteiro: Jonas Brandão e Thiago Minamisawa / Animação: Jonas Brandão, Mateus Rios, Fádhia Salomão, Felipe Calixtre, Tiago Rigolino, Diogo Fujiwara e Elisa Carareto / Produção: Thiago Minamisawa.

Premiação: Melhor Direção no 3º Festival de Paulínea 2010.
36ª Edição do Curta nas Telas

A 36ª Edição do Curta nas Telas contou com 57 filmes inscritos e a Seleção foi realizada em 15 de outubro de 2010, por Marcus Mello, representando a Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre; Hiron Goidanich, representando o Sindicato das Empresas Exibidoras do Rio Grande do Sul; Cristiane Reque, representando a Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul e Brasileira de Documentaristas (APTC – ABD/RS); Caroline da Silva, representando a Imprensa Especializada; e Jorge Barcellos, representando a Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

As exibições dos curtas selecionados nesta Edição entrarão em cartaz a partir de dezembro de 2010. Aguarde divulgação e confira os filmes selecionados.

Sobre o Curta nas Telas
O Projeto Curta nas Telas é fruto de Convênio entre a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, o Sindicato das Empresas Exibidoras do Rio Grande do Sul e a Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul e Brasileira de Documentaristas (APTC – ABD/RS). Seu objetivo é divulgar a produção nacional de curtas-metragens, por meio da exibição dos filmes selecionados no circuito de cinema de Porto Alegre. Em 35 Edições foram exibidos 237 curtas de todo o Brasil.


FILMES SELECIONADOS NA 36ª EDIÇÃO DO CURTA NAS TELAS

ADRO DA CANDELÁRIA, de Alexandre Guerreiro (Rio de Janeiro, documentário, 15 minutos, 35mm, 2007) – Classificação indicativa 12 anos.

Sinopse: No entorno da Candelária, uma bailarina, um marceneiro, um massacre, a experiência de quem trabalha com crianças em situação de risco social no Rio de Janeiro.

Ficha Técnica – Roteiro, Direção e Produção: Alexandre Guerreiro / Direção de Fotografia: Juarez Pavelak / Direção de Produção: Renata Palheiros/ Empresa Produtora: Ela Filmes Ltda.

Premiação: Troféu Jangada – Festival Guarnicê 2007.


AUREA, de Zeca Ferreira (Rio de Janeiro, ficção / documentário - ficção, 16 minutos, HDcam, 2009) – Classificação indicativa 10 anos.

Sinopse: Festa acabada, músicos a pé...

Ficha Técnica – Roteiro e Direção: Zeca Ferreira / Produção: Maria Holanda e Marta Paiva / Direção de Fotografia: Pedro Urano / Elenco: Áurea Martins, Zé Maria Rocha, Leila Rocha, Virgínia Menezes, Deli Alves, Ney Sant´Anna, Lu Simões e Terra Trio.

Premiação: Melhor Filme, Melhor Montagem, Prêmio Especial do Júri pela Fotografia e Prêmio da Crítica no Cine PE 2010 – Competição de Curtas Digitais / Melhor Trilha Sonora (vídeo) no FAM - Florianópolis 2010 / Melhor Filme e Melhor Fotografia no Festival de Cinema Digital de Jericoacoacara.
BALA PERDIDA, de Victor Lopes (Rio de Janeiro, suspense, 14 minutos, 35mm, 2003) – Classificação indicativa 10 anos.

Sinopse: Numa tarde de sol, numa praça do Rio de Janeiro, começa um tiroteio. O tempo volta um minuto para revelar as histórias de várias pessoas que testemunham os disparos. São pessoas muito diferentes, todas expostas à trajetória das balas. Qualquer um pode morrer.

Ficha Técnica – Direção e Roteiro: Victor Lopes / Direção de Fotografia: Jacques Cheuiche / Direção de produção René Bittencourt / Empresas Co-produtoras: TvZero e Sambascope / Elenco: Alexandre Rodrigues, Camila Pitanga, Tuca Andrada, José Karini, Letícia Isnard, Emiliano Queiroz, Lucio Mauro, Rogério Cardoso, Danilo Menegale, Fernando José, Hylka Maria,Vinícius de Oliveira, Aramis Trindade, Marcelo Melo e Marta Jordan.

Premiação: Melhor Curta-Metragem, Melhor Direção e Melhor Trilha Sonora no Cine PE – Festival de Recife 2004 / Melhor Filme - Athens Internacional Film Festival - Ohio - EUA, 2004 / Melhor Filme, Melhor Montagem e Favoritos do Público - Festival Guarnicê 2004 / Melhor Roteiro no 6° Festival Internacional de Curtas Belo Horizonte 2004 / Certificado de Mérito - Chicago International Film Festival, EUA, 2004 / Melhor Curta-Metragem no Festival do Rio, Brasil, 2003.


CINE HOLIÚDY - O ASTISTA CONTRA O CABA DO MAL , de Halder Gomes (Ceará, comédia, 15 minutos, 35mm, 2004) – Censura Livre.

Sinopse: Francisgleydson é o proprietário do Cine Holiúdy, um modesto cinema no interior do Ceará nos anos 70. Ele se multiplica nas funções de bilheteiro, lanterninha e projecionista para levar a magia dos filmes de Kung Fu às telas. Um súbito defeito no projetor leva-o ao maior desafio de sua vida: conter os ânimos da enfurecida plateia e, de quebra, contar o restante do filme. Tarefa fácil para o “descolado” Francisgleydson ... se ele tivesse assistido ao filme!

Ficha Técnica – Direção: Halder Gomes / Roteiro: Halder Gomes, Micheline Helena e Thiago Daniel / Direção de Fotografia: Roberto Iuri / Direção de produção: Tito Almeijeiras / Empresas Co-produtoras: Cia. de imagem e ATC Entretenimentos / Elenco: Edmilson Filho, Haroldo Guimarães, Maria Fernanda Mota, Eduardo Rocha, Bolachinha, Amadeu Maia e Pedro Domingues.

Premiação: Melhor Filme no Festival de Curtas de Natal 2005 / Melhor Roteiro no Festival de Curitiba 2005 / Melhor Filme e Melhor Direção de Arte no Festival Mercosul 2005 / Melhor Filme - Júri Popular no Amazonas Film Festival 2005 / Melhor Filme - Júri Oficial no Festival de Cinema de Campo Grande 2005 / Prêmio Júri Popular na 7ª Mostra Brasil Plural (Alemanha, 2005).


DOIDO LELÉ, de Ceci Alves (Bahia, drama, 17 minutos, 35mm, 2009) – Censura Livre

Sinopse: Caetano sonha em ser cantor de rádio na década de 50 e foge todas as noites de casa para tentar, sem sucesso, a sorte num programa de calouros. Até que, uma noite, ele aposta tudo numa louca e definitiva performance.

Ficha Técnica – Direção e Roteiro: Ceci Alves / Direção de Fotografia: Pedro Semanovschi / Produção Executiva: Fátima Fróes / Produção: Vanessa Salles / Elenco: Vinícius Nascimento, Jussara Mathias, Maurício Pedrosa e Nonato Freire.

Premiação: Melhor Filme – Júri Popular na 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis 2010 / Melhor Edição no 5º Festival Latinoamericano de curta-metragem de Canoa Quebrada 2009 / Melhor Ator no 4º Festival do Paraná de Cinema Brasileiro Latino 2009.


DOIS EM UM, de Luís Carlos Soares (São Paulo, drama, 10 minutos, 35mm, 2003) – Classificação indicativa 16 anos.

Sinopse: Um casal de adolescentes apaixonados depara-se com uma situação difícil a caminho da maturidade, a decisão de realizar um aborto.

Ficha técnica – Roteiro e Direção: Luís Carlos Soares / Direção de Produção: Erica Ferreira / Direção de Fotografia: Pedro Ionescu / Empresas Produtoras: Bambu Filmes e Dezenove Som e Imagens / Elenco: Juliana Mesquita, Gustavo Dias e Paula Lopes.

Premiação: Melhor Filme de Ficção – XXXI Jornada Internacional de Cinema da Bahia 2004 / Melhor Filme - Prêmio Cine Favela de Curta Metragem 2005 / Melhor Ator (2º Lugar, para Gustavo Dias) - Prêmio Cine Favela de Curta Metragem 2005.


DOSSIÊ RÊ BORDOSA, de Cesar Cabral (São Paulo, animação, 16min, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 14 anos.
Sinopse – Fama? Ego inflado? Espírito de porco? Quais os reais motivos que levaram o cartunista Angeli a matar Rê Bordosa, sua mais famosa criação? Este documentário em animação investiga este vil crime.

Ficha técnica – Direção e Animação: Cesar Cabral / Roteiro, Edição e Montagem: Cesar Cabral e Leandro Maciel / Direção de Fotografia: Marcelo Trotta / Direção de Produção: Anália Tahara / Modelagem, Bonecos e Cenários: Olyntho Tahara / Dublagem: Paulo César Pereio, Grace Gianoukas e Laert Sarrumor / Locução: Lena Whitaker e Odayr Baptista / Entrevistados: Tales Ab’Saber, Paula Madureira, Angeli Laerte Coutinho, Toninho Mendes e Márcia Aguiar.

Premiação: Melhor Animação Brasileira, Melhor Filme e Prêmio aquisição Canal Brasil no Anima Mundi 2008 / Melhor Direção de Arte no Brazilian Film Festival of Miami 2009 / Melhor Roteiro e Melhor Trilha Sonora no Cine PE 2008 / Melhor Curta - Júri Popular no Curta Brasil - São Paulo Film Commission 2009 / Melhor direção no Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual 2009 / Melhor Animação Internacional no Festival de Cinema de Viña del Mar 2008 / Melhor Montagem e Melhor Roteiro no Festival de Gramado 2008 / Melhor Animação - 3º Lugar no Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano 2008 / Melhor Animação no Los Angeles Brazilian Film Festival 2009 / Melhor Curta - Jurí Oficial no Amazonas Film Festival 2008 / Menção Honrosa no Festival de Cinema de Huesca 2009 / Melhor direção, Melhor Roteiro e Prêmio do Júri Popular no Festival do Paraná de Cinema Brasileiro e Latino 2008.


HOMEM-BOMBA, de Tarcísio Puiati (Rio de Janeiro, drama, 13 minutos, 35mm, 2009) – Classificação indicativa 14 anos.

Sinopse: Duas crianças. Uma guerra. Nenhum vencedor.

Ficha Técnica – Roteiro e Direção: Tarcisio Lara Puiati / Direção de Fotografia: Felipe Sabugosa / Direção de Produção: Paula Lagoeiro e Carlos Alexandre Santos / Empresa Produtora: CAJU Cinema / Elenco: Alex Naftali e Rodrigo Costa.

Premiação: Melhor Filme de Ficção no 9º Santa Maria Vídeo e Cinema / Prêmio Porta Curtas 2010.


NAIÁ E A LUA, de Leandro Tadashi Duarte (São Paulo, ficção, 13 minutos, 35mm, 2010) – Censura Livre.

Sinopse: Uma jovem indiazinha de nome Naiá se apaixona pela lua ao ouvir a anciã de sua aldeia contar a história do surgimento das estrelas no céu. Uma belíssima adaptação da lenda indígena sobre o nascimento da vitória-régia, misturando animação e atores reais.

Ficha Técnica – Direção, Animação, Roteiro e Produção: Leandro Tadashi Duarte / Direção de Fotografia: Thaisa Oliveira / Direção de Produção: Luciana Pilon.


PIMENTA, de Eduardo Mattos (São Paulo, drama, 13 minutos, 35mm, 2010) – Censura Livre.

Sinopse: Interior da Bahia. Anos sessenta. Não fosse a garrafa de pimentas que seu pai ganhara de presente, seria uma tarde qualquer para Zeca. Era uma garrafa linda, mas muito perigosa. Ele tinha que se livrar dela.

Ficha técnica – Roteiro e Direção: Eduardo Mattos / Produção Executiva: Victor A. Biagioni e Juliana Vicente / Direção de Fotografia: Taís Nardi / Empresa Produtora: Preta Portê Filmes / Elenco: Sandra Corveloni, Gustavo Mattos e Eduardo Mello.

Premiação: Prêmio do Público na Jornada Internacional de Cinema da Bahia 2010.


PROPRIEDADES DE UMA POLTRONA, de Rodrigo John (Rio Grande do Sul, animação, 8 minutos, 35mm, 2010) – Classificação indicativa 10 anos.

Sinopse: Em casa de Jacinto as crianças se divertem com as estranhas propriedades de uma velha poltrona, até que a passagem do tempo as faça ver o misterioso móvel com outros olhos.

Ficha Técnica – Roteiro, Direção, Edição e Desenho de Som: Rodrigo John
/ Produção: Fabi Alves, Adriana Hiller e Rodrigo John / Animação 3D: Marco Arruda e Claudio Marzo / Animação 2D e Pintura: Adriana Hiller, Carla Magalhães, Carla Pilla, Luiza Hecker, Leonardo Remor, James Zortéa, Cristiano Oliveira, Pedro Neves, Giovanna Maia, Maurício Añez, Virgínia Simone e Rodrigo John / Vozes: Rico Assoni, Sissi Venturin, Felipe Mônaco, Silvia Schultz e Lefa.


UM LUGAR COMUM, de Jonas Brandão (São Paulo, animação, 10 minutos, 35mm, 2009) – Censura Livre.
Sinopse: Em um lugar comum, a extrovertida Marina e o desajeitado Zezé se conhecem e juntos plantam uma bela árvore, que se torna o símbolo de sua amizade. O filme acompanha o crescimento das crianças e seus desencontros, ao longo dos anos, neste mesmo lugar comum.

Ficha Técnica – Direção: Jonas Brandão / Roteiro: Jonas Brandão e Thiago Minamisawa / Animação: Jonas Brandão, Mateus Rios, Fádhia Salomão, Felipe Calixtre, Tiago Rigolino, Diogo Fujiwara e Elisa Carareto / Produção: Thiago Minamisawa.

Premiação: Melhor Direção no 3º Festival de Paulínea 2010.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Segue em exibição o filme Romance 38


O projeto Curta nas Telas segue exibindo até 7 de outubro o curta Romance 38, de Vitor Brandt e Vinícius Casimiro, na Sala 1 do Cinemark Bourbon Ipiranga, acompanhando o longa O Último Exorcismo de Daniel Stamm, nas sessões das 15h20, 17h20, 19h40 e 21h45.

Com o curta Romance 38, encerram-se as exibições dos selecionados na 35ª seleção do Curta nas Telas. Os filmes da 36ª edição estão em processo de seleção e entram em cartaz a partir de dezembro de 2010.


Em Romance 38, os jovens diretores Vitor Brandt e Vinícius Casimiro, brincam com o gênero policial numa trama em que realidade e ficção se mesclam para gerar uma inusitada história sobre amor, traição, violência e literatura. Os clichês habituais, tanto da literatura como do cinema policial, se estabelecem como elementos funcionais na composição do roteiro, repleto de sarcasmo, ironia e originalidade.

Romance 38, de Vitor Brandt e Vinícius Casimiro (São Paulo, drama, 14 Minutos, Cor, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 16 anos.

Sinopse: Jorge é um escritor amador tentando concluir o seu primeiro romance. Carol, sua namorada, acha que tudo o que ele escreve é violento demais.
Premiação: Prêmio do Público de Melhor Filme – 14 ° Festival Brasileiro de Cinema Universitário 2008 / Prêmio de Melhor Ficção – 2º MIAU 2009 (Mostra Independente do Audiovisual Universitário – GO – Brasil) / Menção Honrosa por Roteiro e Prêmio Estímulo Estudantil – 4ª Festival Curta Fantástico (São Paulo – Brasil) / Prêmios de Melhor Montagem e Melhor Trilha Sonora – V Fest Aruanda (João Pessoa – Paraíba – Brasil).

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Romance 38 entra em cartaz no Cinemark Bourbon

O projeto Curta nas Telas exibe de 24 de setembro até 7 de outubro o curta Romance 38, de Vitor Brandt e Vinícius Casimiro, na Sala 1 do Cinemark Bourbon Ipiranga, acompanhando o longa 400 Contra 1: Uma História do Crime Organizado, de Caco Souza, nas sessões das 13h e 18h10.

Com a entrada em cartaz de Romance 38, encerram-se as exibições dos selecionados na 35ª seleção do Curta nas Telas. Os filmes da 36ª edição estão em processo de seleção e entram em cartaz a partir de dezembro de 2010.
Em Romance 38, os jovens diretores Vitor Brandt e Vinícius Casimiro, brincam com o gênero policial numa trama em que realidade e ficção se mesclam para gerar uma inusitada história sobre amor, traição, violência e literatura. Os clichês habituais, tanto da literatura como do cinema policial, se estabelecem como elementos funcionais na composição do roteiro, repleto de sarcasmo, ironia e originalidade.

Romance 38, de Vitor Brandt e Vinícius Casimiro (São Paulo, drama, 14 Minutos, Cor, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 16 anos.

Sinopse: Jorge é um escritor amador tentando concluir o seu primeiro romance. Carol, sua namorada, acha que tudo o que ele escreve é violento demais.


Ficha Técnica – Direção: Vitor Brandt e Vinícius Casimiro / Roteiro:
Vitor Brandt, Denis Nielsen e Vinícius Casimiro / Produção: Issis Valenzuela / Direção de Fotografia: Thaisa Oliveira / Edição de Som: Ratiana Custódio / Montagem: Denis Nielsen / Direção de Arte: Leandro Duarte / Música: Dante Castanha / Elenco: Marcelo Pacífico, Joeli Pimentel e Bia Born.

Premiação: Prêmio do Público de Melhor Filme – 14 ° Festival Brasileiro de Cinema Universitário 2008 / Prêmio de Melhor Ficção – 2º MIAU 2009 (Mostra Independente do Audiovisual Universitário – GO – Brasil) / Menção Honrosa por Roteiro e Prêmio Estímulo Estudantil – 4ª Festival Curta Fantástico (São Paulo – Brasil) / Prêmios de Melhor Montagem e Melhor Trilha Sonora – V Fest Aruanda (João Pessoa – Paraíba – Brasil).

35ª Edição do Curta nas Telas - SELECIONADOS

A 35ª Edição do Curta nas Telas contou com 59 filmes inscritos e a Seleção foi realizada, em dezembro de 2009, por Marcus Mello, representando a Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre; Hiron Goidanich, representando o Sindicato das Empresas Exibidoras do Rio Grande do Sul; Cristiane Reque, representando a Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul e Brasileira de Documentaristas (APTC – ABD/RS); Daniel Feix, representando a Imprensa Especializada; e Jorge Barcellos, representando a Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

As exibições dos curtas selecionados nesta Edição entrarão em cartaz a partir de março de 2010. Aguarde divulgação e confira os filmes selecionados.

FILMES SELECIONADOS NA 35ª EDIÇÃO DO CURTA NAS TELAS

Alguém Tem que Honrar esta Derrota!, de Leonardo Esteves
(Rio de Janeiro, experimental, 7min30seg, P&B, 35mm, 2009) – Classificação indicativa 12 anos.
Sinopse: Um filme rodado no carnaval! Sem roteiro, sem claquete e sem fotômetro.
Ficha técnica – Roteiro, Direção de Produção e Produção Executiva: Leonardo Esteves / Direção de Fotografia: Dib Lutfi / Direção de Arte: Liane Esteves / Montagem: Marise Farias / Música Original: Daniel Vasques / Produtora: Filmes da Garotada / Elenco: Ricardo Vooght, Haroldo Paulino e Flávio Leandro de Souza.
Premiação: Menção Honrosa cinema experimental brasileiro no 16º Vitória Cine Vídeo (2009) . (detalhes da exibição)

Ana Beatriz, de Clarissa Cardoso (Brasília, ficção, 9 minutos, cor, 35mm, 2008) – Censura Livre.
Sinopse: Ana Beatriz e Paulo Roberto ainda não se conhecem, mas foram feitos um para o outro. E desde cedo o dia promete... ser igual a outro qualquer. Filme baseado no conto homônimo de Juliano Cazarré.
Ficha Técnica – Direção e Roteiro: Clarissa Cardoso / Produção: Clarissa Cardoso e Santiago Dellape / Direção de Fotografia: Vini Goulart / Direção de Arte: Moema Coelho e Clarissa Cardoso / Montagem: Santiago Dellape / Som: Patrick de Jongh / Elenco: Juliano Cazarré, Peti Portela, Sérgio Lacerda.
Premiação: Melhor Roteiro - 41º Festival de Brasília 2008 / Melhor Montagem - 32º Elche Film Festival (2009/Espanha) / Prêmio Porta Curtas –20º Festival Internacional de Curtas de São Paulo. (detalhes da exibição)

Bicho, de Vitor Brandt (São Paulo, ficção, 14 minutos, cor, 35mm, 2008) – Censura Livre.
Sinopse: Carlos adora os animais, mas sua mãe os odeia. Ela sempre dá um jeito de se livrar deles. Agora, ele encontrou um bicho diferente e, dessa vez, a história irá terminar de uma outra maneira.
Ficha Técnica – Direção e Roteiro: Vitor Brandt / Direção de Fotografia: Pierre Kerchove / Montagem: Nancy Korim / Direção de Arte: Leandro Duarte e Gislaine Myono / Trilha Original: Dante Castanha / Som: Gustavo Nascimento e Guilherme Shinji / Direção de Produção: Tita Tessler e Hugo Kenzo / Elenco: Magali Biff e Matheus Fagundes.
Premiação: Melhor Curta da 3° Mostra Curta Fantástico 2008 / Prêmio Porta curtas – 15° Vitória Cinevídeo 2008 / Melhor Ficção e infanto-juvenil pelo júri popular – Mostra Audiovisual de Cambuquira 2009. (detalhes da exibição)

Cinco Minutos, de Ricky Mastro (São Paulo, 10 minutos, cor, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 14 anos.
Sinopse: Quando se passa uma vida inteira ao lado de alguém, todo o tempo do mundo ainda é pouco para dizer adeus.
Ficha Técnica: Direção, Produção e Roteiro: Ricky Mastro / Assistente de Produção: Luis Villaverde / Continuidade: Guilherme Aranha / Direção de Fotografia: Felipe Chiaramonte / Direção de Arte: Helô Duran, Francisca Thomé e João Paulo Siqueira Lopes / Som: Uira Wagner / Montagem: Léo Zaia / Elenco: Nyrce Levin, Angela Barros, Sara Sarres, Leonardo de Vitto e Rodrigo Dorado.
Prêmio de Melhor audiência do Wildsound’s Film Festival (Canadá, 2009). (detalhes da exibição)

Disputa entre o Diabo e o Padre pela Posse do Cênte-for na Festa do Santo Mendigo, de Eduardo Duval e Francisco Tadeu (Rio de Janeiro, animação, 11 minutos, cor, 35mm, 2006) – Censura Livre.
Sinopse: Ambição de maior prestígio político leva coronel de cidade do interior do Nordeste do Brasil a promover partida de futebol do time local contra time de São Paulo. O fervor religioso de seu principal jogador atrapalha seus planos.
Ficha Técnica – Direção: Eduardo Duval e Francisco Tadeu / Roteiro: Eduardo Duval, Francisco Tadeu e Marcello Quintanilha / Animação: Eduardo Duval, Francisco Tadeu e Marcus Martins / Direção de Arte e Cenários: Paulo Visgueiro / Edição e Composição: Miguel Angelo Rego / Trilha Sonora: Ronaldo Cotrim / Mixagem: Alexandre Jardim / Narração e Vozes: Otávio Augusto. (detalhes da exibição)

Ícarus, de Victor-Hugo Borges (São Paulo, animação, 10 minutos, cor, 35mm, 2007) – Censura Livre.
Sinopse: Uma história do amor que a tudo vence, que tudo constrói, até pontes que não existem mais.
Ficha Técnica – Roteiro, Direção, Direção de Arte e Animação: Victor-Hugo Borges / Narração: Gianfrancesco Guarnieri / Direção de Produção: Mayra Lucas / Produção Executiva: Ana Alice de Morais e Michele Lavalle / Montagem: André Francioli / Edição de Som: Miriam Biderman e Ricardo Chuí / Trilha: Alexandre Bischof.
Premiação: Melhor direção de Arte – FAM 2008, 31° Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão 2008 e no Granimado Festival Brasileiro de Animação 2008. (detalhes da exibição)

Josué e o Pé de Macaxeira, de Diogo Viegas (Rio de Janeiro, animação, 12 minutos, cor, 35mm, 2009) – Censura Livre.
Sinopse: Ao trocar seu burro por uma "macaxeira mágica", Josué descobre que não são apenas feijões que podem nos proporcionar uma aventura fantástica.
Ficha técnica – Roteiro, Direção, Direção de arte: Diogo Viegas / Produção: Ana Luisa Pereira, Simone Scofield e Diogo Viegas / Trilha Sonora: Leonardo Mendes / Montagem: Alessandro Monnerat / Som: Ana Luisa Pereira e Luiz Adelmo / Animação: Diogo Vegas, Luciano do Amaral e Marcos Corrêa / Produtoras: Rocambole Produções, Viegas Estúdio e Campo 4 Desenhos Animados.
Premiação: Melhor Animação Brasileira pelo Júri Popular no Anima Mundi 2009 / Melhor filme pelo júri popular – 16° Vitória Cine Video (2009) / Melhor diretor de arte, melhor montagem, melhor trilha e melhor filme pelo júri popular – 37° Festival de Gramado (2009) / Melhor direção de arte – V Curta Canoa (2009) / Melhor animação – Prêmio Brasil de Cinema Infantil (2009) / Melhor Animação e Melhor Trilha Sonora Original – Comunicurtas (Campina Grande / PB - 2009). (detalhes da premiação)

Pajerama, de Leonardo Cadaval (São Paulo, animação, 9 minutos, cor, 35mm, 2008) – Censura Livre.
Sinopse: Um índio passa por uma torrente de experiências estranhas, revelando mistérios a respeito do tempo e espaço.
Ficha Técnica – Roteiro e Direção: Leonardo Cadaval / Animação: Leonardo Cadaval e Sérgio Menehira / Música Original: Ruggero Ruschioni / Produção: Mayra Lucas e Michelle Lavalle.
Premiação: Melhor Curta-metragem para juventude – Festival Internacional de Oberhausen 2008 / Melhor Curta-metragem – Festival Internacional de Curtas-metragens de Belo Horizonte 2008 / Melhor Curta de Animação – Festival de Curtas de Sergipe – Cine SE / Melhor Curta-metragem de Animação e Melhor Trilha Sonora Original no Festival Audiovisual do Mercosul – FAM 2008 / Melhor Curta-metragem de Animação no Festicine Amazônia (2008) / Melhor Trilha Sonora Original no Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão 2008 / Melhor Edição de Som – Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá 2008 / Melhor Trilha Original – Granimado Festival Brasileiro de Animação 2008. (detalhes da exibição)

Quarto de Espera, de Bruno Carboni e Davi Pretto (Rio Grande do Sul, Ficção, 13 minutos, cor, 35mm, 13min, 2009) – Classificação indicativa 14 anos.
Sinopse: Um jovem usando uma máscara de gás transita em uma cidade vazia e cinzenta.
Ficha Técnica – Direção: Bruno Carboni e Davi Pretto / Roteiro e Produção: Davi Pretto / Direção de Fotografia: Eduardo Pua / Montagem: Bruno Carboni / Captação de Som: Alexandre Kupimski e Maurício Corrêa / Edição de Som: Tiago Bello / Direção de Arte: Richard Tavares / Trilha: Diego Poloni e Mauro Bruzza / Elenco: Ian Ramil, João Carlos Castanha, Marcos Contreras, Heinz Limaverde, Marcelo Casagrande e Mauro Bruzza.
Premiação: Melhor Direção de Arte – 13º Festival Audiovisual do Mercosul – FAM 2009 / Menção Honrosa da ABD&C – 14º Festival Brasileiro de Cinema Universitário – 2009 / Menção Honrosa no Prêmio Revelação – 20º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo – Kinoforum – 2009. (detalhes da exibição)

Romance 38, de Vitor Brandt e Vinícius Casimiro (São Paulo, drama, 14 Minutos, Cor, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 16 anos.
Sinopse: Jorge é um escritor amador tentando concluir o seu primeiro romance. Carol, sua namorada, acha que tudo o que ele escreve é violento demais.
Ficha Técnica – Direção: Vitor Brandt e Vinícius Casimiro / Roteiro:
Vitor Brandt, Denis Nielsen e Vinícius Casimiro / Produção: Issis Valenzuela / Direção de Fotografia: Thaisa Oliveira / Edição de Som: Ratiana Custódio / Montagem: Denis Nielsen / Direção de Arte: Leandro Duarte / Música: Dante Castanha / Elenco: Marcelo Pacífico, Joeli Pimentel e Bia Born.
Premiação: Prêmio do Público de Melhor Filme – 14 ° Festival Brasileiro de Cinema Universitário 2008. (confira detalhes da exibição)

Rosa e Benjamin, de Cléber Eduardo e Ilana Feldman (São Paulo, drama, 15 minutos, cor, 35mm, 2009) – Censura Livre.
Sinopse: Um casal de muitos anos em uma casa no Jabaquara. Um novo vizinho, desconfiança, notícias de um prédio novo, acidente na vizinhança. O casal na casa e a casa na cidade.
Ficha técnica – Roteiro e Direção: Cléber Eduardo e Ilana Feldman / Produção Executiva: Zita Carvalhosa / Direção de Produção: Leonardo Mecchi / Direção de Fotografia: Katia Coelho ABC / Direção de Arte: Roberto Hukai / Montagem: Caetano Gotardo e Cléber Eduardo / Edição de Som: Eduardo Santos Mendes / Som: Gustavo Nascimento / Elenco: Germano Haiut e Helena Esteves.
Premiação: Melhor Direção – 9º Goiânia Mostra Curtas / Melhor Roteiro – 16º Vitória Cine Vídeo. (detalhes da exibição)

Saliva, de Esmir Filho (São Paulo, drama, 14 minutos, cor, 35mm, 2007) – Censura Livre
Sinopse: Uma viagem na mente de uma menina de 12 anos prestes a dar seu primeiro beijo. Dúvidas e medos mergulhados em saliva.
Ficha Técnica – Direção e Roteiro: Esmir Filho / Direção de Fotografia: Marcelo Trotta / Produção Executiva: Lorenzo Giunta e Simoni de Mendonça / Música Original: Fernanda Takai e John Ulhoa / Montagem: Caroline Leone / Direção de arte: Marcelo Escañuela / Produtora: Ioio Filmes / Elenco: Mayara Comunale, Gabriel Cavichiolli e Hellen Vasconcelos.
Premiação: Melhor Filme – Festival Cultura Inglesa 2007 / Melhor Direção – Festival de Gramado 2007 / Prêmio Aquisição Canal Brasil – Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2007 / Melhor Curta – Festival Internacional de Filmes de Cataluña e Festival Tudo Sobre Mulheres 2007 / Melhor Direção e Melhor Edição – Londrina Film Festival 2007 / Melhor Direção e Melhor Atriz no Curta Canoa 2007. (detalhes da exibição)

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Curta nas telas exibe ROSA E BENJAMIN, que mostra a relação de Casal na Terceira Idade

O projeto Curta nas Telas exibe até 23 de setembro o curta Rosa e Benjamin, de Cléber Eduardo e Ilana Feldman, na Sala 04 do GNC Moinhos, acompanhando o longa Amor à Distância, de Nanette Burstein, às 19h20 e 22h.

Em Rosa e Benjamim a relação na terceira idade se mostra em sua matriz cotidiana. Quando somos apresentados ao casal, não entendemos muito bem como funciona essa dinâmica. De início achamos que se trata de uma relação que caiu na pura comodidade. Porém, com o passar dos minutos, percebe-se que ali cabem todos os sentimentos.
O fora de quadro faz tanto parte da história como o que é mostrado. O imaginário de Benjamim vai sendo moldado junto com o nosso, quando Rosa fala do vizinho que acabou de se mudar, e que nós não vemos. Não que Rosa o traia ou tenha a intenção de despertar o ciúme do marido, é que os elementos subjetivos são todos fortes demais, nos dando a sensação de que realmente há algo suspenso no ar.
A construção da imagem é perfeita. O casal se mantém nessa estrutura, conversam sem se olhar, enquanto ela cumpre suas tarefas domésticas, ele continua lendo seu jornal e revista fazendo disso uma forma de se manter a certa distância. E então vemos o casal na cama, mas ali alguma coisa muda e parece haver um carinho e um resgate do sentimento. E assim o filme segue sem nos dar certezas do que realmente acontece, de como o casal se vê – exatamente como o amor. O amor nas mais diversas formas também está ali existindo, fora de campo como todos os outros sentimentos. (trechos da crítica de Monique Rodrigues, extraído do Curta Cinema: crítica - Festival Internacional de Curtas do RJ).Rosa e Benjamin, de Cléber Eduardo e Ilana Feldman (São Paulo, drama, 15 minutos, cor, 35mm, 2009) – Censura Livre
Sinopse: Um casal de muitos anos em uma casa no Jabaquara. Um novo vizinho, desconfiança, notícias de um prédio novo, acidente na vizinhança. O casal na casa e a casa na cidade.

Ficha técnica – Roteiro e Direção: Cléber Eduardo e Ilana Feldman / Produção Executiva: Zita Carvalhosa / Direção de Produção: Leonardo Mecchi / Direção de Fotografia: Katia Coelho ABC / Direção de Arte: Roberto Hukai / Montagem: Caetano Gotardo e Cléber Eduardo / Edição de Som: Eduardo Santos Mendes / Som: Gustavo Nascimento
Elenco: Germano Haiut e Helena Esteves.

Premiação: Melhor Direção – 9º Goiânia Mostra Curtas / Melhor Roteiro – 16º Vitória Cine Vídeo

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Animação Infantil que alerta contra devastação da Amazônia entra em cartaz


O projeto Curta nas Telas exibe de 27 de agosto a 09 de setembro o curta PAJERAMA, de Leonardo Cadaval, na Sala 03 do Unibanco Arteplex, acompanhando o longa Meu Malvado Favorito, de Pierre Coffin e Chris Renaud, nas suas quatro sessões diárias (13h, 15h, 17h e 19h).

Pajerama em tupí significa "futuro pajé". O curta de Leonardo Cadaval é irônico e nos remete à verdadeira selva em que vivemos: a cidade e seu processo de feroz de urbanização. Pajerama pode ser visto como um alerta contra a devastação da Amazônia. Animação preciosa para pensarmos a natureza a partir do olhar singelo e preocupado de seus maiores defensores, os índios.

Pajerama, de Leonardo Cadaval (São Paulo, animação, 9 minutos, cor, 35mm, 2008) – Censura Livre.
Sinopse: Um índio passa por uma torrente de experiências estranhas, revelando mistérios a respeito do tempo e espaço.
Premiação: Melhor Curta-metragem para juventude – Festival Internacional de Oberhausen 2008 / Melhor Curta-metragem – Festival Internacional de Curtas-metragens de Belo Horizonte 2008 / Melhor Curta de Animação – Festival de Curtas de Sergipe – Cine SE / Melhor Curta-metragem de Animação e Melhor Trilha Sonora Original no Festival Audiovisual do Mercosul – FAM 2008 / Melhor Curta-metragem de Animação no Festicine Amazônia (2008) / Melhor Trilha Sonora Original no Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão 2008 / Melhor Edição de Som – Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá 2008 / Melhor Trilha Original – Granimado Festival Brasileiro de Animação 2008.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Projeto Curta nas Telas segue exibindo o curta de animação Ícarus

O projeto Curta nas Telas exibe até 26 de agosto o curta ÍCARUS, de Victor-Hugo Borges, na sala 04 do Cinesystem Total, acompanhando o longa O Aprendiz de Feiticeiro, de Jon Turteltaub, em suas quatro sessões diárias (14h, 16h30, 19h e 21h30).

ÍCARUS é um curta-metragem de animação, cuja estética transita entre o sombrio e o divertido, misturando bonecos e animação 3D. O filme conta com a narração de Gianfrancesco Guarnieri.

ÍCARUS, de Victor-Hugo Borges (São Paulo, animação, 10 minutos, cor, 35mm, 2007) – Censura Livre

Sinopse: Ícarus é um menino de 4 anos que sonha com o pai, um piloto de avião. Uma história do amor que a tudo vence, que tudo constrói, até pontes que não existem mais. Com narração de Gianfrancesco Guarnieri.

Premiação: Melhor direção de Arte – FAM 2008, 31° Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão 2008 e no Granimado Festival Brasileiro de Animação 2008.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

3 curtas em cartaz na cidade dentro do projeto Curta nas Telas

O projeto Curta nas Telas exibe de 12 a 26 de agosto o curta ÍCARUS, de Victor-Hugo Borges, na Sala 04 do Cinesystem Total acompanhando o longa O Aprendiz de Feiticeiro, de Jon Turteltaub, em suas quatro sessões diárias.



Volta em cartaz, de 13 a 19 de agosto, o curta ANA BEATRIZ, de Clarissa Cardoso, na Sala 02 do Arcoíris Vitória, nas sessões das 16h40 e das 19h, acompanhando o longa A Prova da Morte, de Quentin Tarantino.

Além destes, no período de 28 de julho a 08 de agosto o curta BICHO, de Vitor Brandt, segue sendo exibido na Sala de Cinema P. F. Gastal da Usina do Gasômetro, nas sessões das 15h, 17h e 19h, acompanhando o longa Insolação, de Felipe Hirsch e Daniela Thomas.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Curta nas Telas exibe BICHO


O projeto Curta nas Telas apresenta de 28 de julho a 08 de agosto o curta Bicho, de Vitor Brandt, na Sala de Cinema P. F. Gastal da Usina do Gasômetro, nas sessões das 15h, 17h e 19h, acompanhando o longa Insolação, de Felipe Hirsch e Daniela Thomas.

Bicho é o oitavo dos 12 filmes selecionados na 35ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição. Em Bicho, o diretor Vitor Brandt retrata o lado mais obscuro e tortuoso de ser criança. Uma infância solitária e repleta de opressão, um terreno fértil que pode gerar experiências assustadoras. Se o sono da razão gera monstros, é na projeção de uma criatura inominável que o garoto Carlos encontra um amigo e uma forma de manifestar uma reação contra aqueles que o oprimem.

Bicho, de Vitor Brandt (São Paulo, ficção, 14 minutos, cor, 35mm, 2008) – Censura Livre.

Sinopse: Carlos adora os animais, mas sua mãe os odeia. Ela sempre dá um jeito de se livrar deles. Agora, ele encontrou um bicho diferente e, dessa vez, a história irá terminar de uma outra maneira.

Premiação: Melhor Curta da 3° Mostra Curta Fantástico 2008 / Prêmio Porta curtas – 15° Vitória Cinevídeo 2008 / Melhor Ficção e infanto-juvenil pelo júri popular – Mostra Audiovisual de Cambuquira 2009 / Melhor curta nacional no V FANTASPOA 2009.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

INSCRIÇÕES PARA A 36ª EDIÇÃO DO CURTA NAS TELAS

A secretaria Municipal da Cultura da Cultura informa que as inscrições para o Concurso “CURTA NAS TELAS – 36ª SELEÇÃO” estarão abertas no período de 21 de julho a 20 de agosto de 2010.
As inscrições poderão ser realizadas pessoalmente, das 9h às 12h e das 14h às 18h, ou pelo Correio, por SEDEX ou Aviso de Recebimento (AR), no endereço da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia (CCVF), situada na Usina do Gasômetro - Av. Pres. João Goulart, nº 551 / 3º andar – CEP 90010-120 – Porto Alegre – RS.

Poderão participar filmes nacionais de curta-metragem que tenham cópia em boas condições na bitola 35 mm ou em formato digital desde que encodados no Sistema Rain, com duração de até 15 (quinze) minutos, sem considerar o tempo de duração dos créditos finais, que não tenham sido exibidos pelo disposto na Lei Federal n° 6281 de 09/12/1975, e que tenham sido realizados após o ano de 1990, inscritos por pessoas físicas ou jurídicas.

ficha de inscrição e termo de ciencia 36ª Curta Nas telas


Regulamento completo 36ª edição Curta nas Telas

CONCURSO N° 008/2010
CURTA NAS TELAS – 36ª Edição
Processo Administrativo 001.000495.10.7

REGULAMENTO

A SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA torna público que estará recebendo dos interessados em participar deste Concurso filmes de curta-metragem, realizados em todo o Território Nacional.
Este Concurso se processará nos termos deste REGULAMENTO, do Convênio Curta Nas Telas e alterações, firmado em 03/12/2007, e da Lei Federal 8.666/93, no que couber.
Integra este Regulamento o Anexo I: Ficha de Inscrição com Termo de Ciência.

1. DO OBJETO
1.1. O presente Concurso tem por objetivo divulgar a produção cinematográfica nacional, por meio de seleção de 12 (doze) filmes de curta-metragem para exibição no circuito comercial de cinemas de Porto Alegre, em um período de 14 (quatorze) dias para cada selecionado, em sistema de rodízio entre as salas.
2. DAS INSCRIÇÕES
2.1. As inscrições ocorrerão no período de 21 de julho a 20 de agosto de 2010.
2.2. O Regulamento estará disponível no portal www.portoalegre.rs.gov.br/cultura ou poderá ser solicitado pelo e-mail curtanastelas@smc.prefpoa.com.br. Informações na Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia (CCVF) pelos fones: (51) 3289-8137 e (51) 3289-8135.
2.3. As inscrições poderão ser realizadas pessoalmente, das 9h às 12h e das 14h às 18h, ou pelo Correio, por SEDEX ou Aviso de Recebimento (AR), no endereço da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia (CCVF), situada na Usina do Gasômetro - Av. Pres. João Goulart, nº 551 / 3º andar – CEP 90010-120 – Porto Alegre – RS.
2.3.1. As inscrições pelo correio deverão fazer referência, no envelope, a 36ª Edição do Concurso Curta Nas Telas, e somente serão aceitas as que tenham sido postadas até o último dia de inscrição.
2.4. A inscrição será formalizada mediante a entrega da FICHA DE INSCRIÇÃO (anexo I deste Regulamento), devidamente preenchida e assinada pelo(a) Responsável, sem rasuras, acompanhada de uma cópia em DVD do filme e ficha técnica, protocolada pela CCVF, quando realizada pessoalmente.
2.4.1. Para os inscritos que optarem por exibição pelo Sistema Rain, além das exigências acima, será obrigatória a apresentação de Declaração com a informação de que o curta-metragem foi digitalizado e codificado pela Rain Brasil.
2.4.1.1. A declaração deve ser solicitada junto à Gerência de Atendimento da Rain Brasil, pelo e-mail ccarvalho@rain.com.br ou pelo site www.rain.com.br.

2.4.2. Em caso de envio pelo correio, as exigências são as mesmas contidas no item 2.4 e subitem 2.4.1, em caso de exibição no suporte digital, e o Protocolo será o comprovante emitido pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT), enviado por fax (51) 3289-8133.
2.5. Não serão aceitas as inscrições que forem encaminhadas pela internet ou por fax, e que não atenderem às exigências do disposto nos itens 2.1, 2.3 e 2.4.

3. DA PARTICIPAÇÃO
3.1. Poderão participar filmes nacionais de curta-metragem que tenham cópia em boas condições na bitola 35 mm ou em formato digital desde que encodados no Sistema Rain, com duração de até 15 (quinze) minutos, sem considerar o tempo de duração dos créditos finais, que não tenham sido exibidos pelo disposto na Lei Federal n° 6281 de 09/12/1975, e que tenham sido realizados após o ano de 1990, inscritos por pessoas físicas ou jurídicas.
3.1.1. Para os participantes que optarem pelo formato digital, observar exigência do subitem 2.4.1.
3.2. As inscrições poderão ser feitas em nome de Pessoa Física ou Jurídica.
3.2.1. Se a inscrição for feita em nome de Pessoa Física, considera-se Responsável o(a) Diretor(a) do filme;
3.2.2. Se a inscrição for feita em nome de Pessoa Jurídica, considera-se Responsável a Empresa Produtora, e a assinatura deve ser a de seu representante legal, ou ainda a Distribuidora, desde que apresente procuração ou contrato com delegação de poderes de representação do diretor e da empresa produtora (quando houver).

4. DA SELEÇÃO
4.1. A Comissão de Seleção, não remunerada, será composta por um representante titular e um suplente da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal da Cultura /PMPA, da Associação Profissional dos Técnicos Cinematográficos do RS e Brasileira de Documentaristas – APTC – ABD/RS, do Sindicato das Empresas Exibidoras do RS, da Câmara de Vereadores de Porto Alegre e da Imprensa Especializada de Porto Alegre, este indicado, em comum acordo entre os partícipes do Convênio Curta nas Telas.
4.2. A Comissão de Seleção será nomeada por Portaria do Secretário Municipal da Cultura, publicada no Diário Oficial do Município (DOPA), e terá prazo de 20 dias, após o encerramento das inscrições, para assistir aos filmes inscritos.
4.2.1. A Comissão poderá prorrogar esse prazo por mais 10 dias, caso entenda necessário.
4.3. A reunião para escolha dos 12 (doze) filmes a serem premiados será realizada na Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia, da qual será lavrada ata com os filmes selecionados.
4.3.1. O resultado do Concurso será publicado no Diário Oficial do Município – DOPA (www.portoalegre.rs.gov.br/dopa/), incluindo a relação dos filmes inscritos e não selecionados
4.4. A Comissão levará em conta como critérios de seleção: a originalidade formal e temática; a qualidade técnica e artística do filme.
4.5. A Comissão de Seleção é soberana para a escolha dos doze filmes a serem selecionados.

5. DA PREMIAÇÃO
5.1. A premiação consistirá:
a) na exibição dos filmes selecionados, pelo período de 14 dias, no circuito comercial de cinemas de Porto Alegre, em sistema de rodízio entre as salas, integrando as sessões com início entre 19h e 22h;
b) no pagamento do direito de exibição, pela Secretaria Municipal da Cultura, no valor de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais), por meio de ordem bancária ou depósito na conta-corrente do(a) Responsável de cada um dos filmes selecionados, de acordo com as informações contidas na Ficha de Inscrição, desde que cumpridas as condições exigidas no subitem 5.2.
5.2. O pagamento em dinheiro ocorrerá no prazo de até 90 dias após a exibição dos filmes selecionados, da entrega de um CD com fotos digitalizadas (com boa nitidez, em jpg e com, no mínimo, 300 DPIs) e da apresentação da documentação abaixo relacionada:
5.2.1. Quando o(a) Responsável for Pessoa Física:
a) Cópia da Carteira de Identidade e CPF;
b) Declaração de Idoneidade (modelo fornecido pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia);
c) Comprovante de residência;
d) Certidão Geral Negativa de Débitos de Tributos Municipais, expedida pela Secretaria Municipal da Fazenda de Porto Alegre (se residente em Porto Alegre).
5.2.2. Quando o(a) Responsável for Pessoa Jurídica:
a) Contrato Social da empresa e suas alterações;
b) Cópia da Carteira de Identidade e CPF do representante legal da empresa;
c) Cartão do CNPJ da empresa;
d) Declaração de Idoneidade (modelo fornecido pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia);
e) Declaração de não infração do inciso XXXIII do Art. 7º da Constituição Federal Brasileira de 1988 (modelo fornecido pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia);
f) Certificado de Regularidade do FGTS;
g) Certidão Geral Negativa de Débitos de Tributos Municipais, expedida pelo Município de origem da Empresa;
h) Certidão Negativa do INSS.
6. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
6.1. As despesas decorrentes da participação do Município neste Concurso correrão pela dotação orçamentária n° 1003.2572339031.
6.2. O período e a sala de cinema para exibição dos filmes selecionados serão definidos pelo Sindicato das Empresas Exibidoras Cinematográficas do Estado do Rio Grande do Sul, nos termos do Convênio firmado com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre e APTC – ABD/RS.
6.3. A Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia comunicará o período de exibição aos selecionados com até quinze dias de antecedência.
6.4. As cópias dos filmes selecionados deverão ser entregues, em 35mm e em boas condições, até 5 (cinco) dias antes da data marcada para o início da exibição, previamente comunicada pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal de Cultura.
6.4.1. Os custos e procedimentos de envio e devolução das cópias dos filmes selecionados ficam ao encargo dos seus Responsáveis.
6.5. Os filmes em formato digital encodados no Sistema Rain, que forem selecionados, deverão estar disponíveis mediante solicitação à Rain Brasil, com pelo menos 48 horas de antecedência da data marcada para o início da exibição, que será previamente informada aos Responsáveis pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal da Cultura.
6.6. Caso não seja apresentada a documentação especificada nos subitens 5.2.1 e 5.2.2 deste Regulamento, no prazo de 30 dias a contar da publicação do resultado da Seleção no DOPA (www.portoalegre.rs.gov.br/dopa/), o(a) Responsável pela inscrição perderá o direito ao recebimento do prêmio em dinheiro.
6.6. A restrição referida no item anterior não trará prejuízo à exibição do filme selecionado, ficando o(a) Responsável na obrigatoriedade de disponibilizá-lo para exibição, mesmo não cumprindo com as exigências para o recebimento do prêmio em dinheiro.
6.7. Não serão devolvidas as cópias em DVD dos filmes inscritos, que passarão a integrar o acervo da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia.
6.8. Os direitos de exibição continuarão sendo dos realizadores.
6.9. Os concorrentes não selecionados que se sentirem prejudicados poderão entrar com recurso administrativo, ficando o prazo de 5 (cinco) dias úteis, a contar da publicação do resultado no DOPA, dirigido ao Secretário Municipal da Cultura e encaminhado à Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia, pessoalmente ou pelo correio.
6.10. Os casos omissos referentes ao presente Regulamento serão avaliados e definidos pela Comissão de Seleção, observada a legislação vigente.


Porto Alegre, 02 de junho de 2010.



Sergius Gonzaga
Secretário Municipal da Cultura

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Curta nas Telas exibe filme baseado em conto do ator Juliano Cazarré


O projeto Curta nas Telas apresenta de 9 a 22 de julho o curta Ana Beatriz, de Clarissa Cardoso, na Sala 01 do Arcoíris Vitória, na sessão das 19h30, acompanhando o longa Shreck – Para Sempre, de Mike Mitchell.
Ana Beatriz é o sétimo dos 12 filmes selecionados na 35ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição.
A diretora Clarissa Cardoso, formada em publicidade (na UnB) e atuante nos sets de cinema (como diretora de arte, figurinista e produtora), arrisca um denominador comum à atividade cinematográfica. Sobre o seu curta, saído de conto homônimo de Juliano Cazarré, diz: “Acho o filme simples como deve ser: histórias do cotidiano são banais e não precisam obedecer aos momentos de impacto que, normalmente, esperamos do cinema. Gosto do apelo que tem o ‘eu era feliz e não sabia’. O curta revela um encontro casual”, resume.

Ana Beatriz, de Clarissa Cardoso (Brasília, ficção, 9 minutos, cor, 35mm, 2008) – Censura Livre.
Sinopse: Ana Beatriz e Paulo Roberto ainda não se conhecem, mas foram feitos um para o outro. E desde cedo o dia promete... ser igual a outro qualquer. Filme baseado no conto homônimo de Juliano Cazarré.
Com Juliano Cazarré, Peti Portela, Sérgio Lacerda.
Premiação: Melhor Roteiro - Festival de Brasília 2008 / Melhor Montagem - 32º Elche Film Festival (2009/Espanha) / Prêmio Porta Curtas –20º Festival Internacional de Curtas de São Paulo.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Projeto “Curta nas Telas” exibe filme sobre homossexualidade na terceira idade

O projeto Curta nas Telas apresenta de 22 de junho a 05 de julho o curta CINCO MINUTOS, de Ricky Mastro, no Cine Santander, nas sessões das 19h.
O filme do cineasta paulista Ricky Mastro é o sexto dos 12 filmes selecionados na 35ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição. Tem como protagonistas as atrizes Nyrce Levin e Angela Barros e como tema a homossexualidade na terceira idade. Nas palavras do diretor, “o filme fala basicamente de despedida. Na realidade quando se vive com um parceiro ou uma parceira todo o tempo do mundo parece pouco para dizer o último adeus.” Cinco Minutos, de Ricky Mastro (São Paulo, 10 minutos, cor, 35mm, 2008) – Classificação indicativa 14 anos.

Sinopse: Foram necessários apenas cinco minutos para que o mundo parasse de girar.
Ao acordar aquela manhã, Alice nunca poderia ter imaginado que jamais voltaria a ouvir a voz de Adélia. O que resta agora para Alice é o último beijo e a incerteza da cruel espera de, quem sabe, mais cinco minutos.

Ficha Técnica: Direção, Produção e Roteiro: Ricky Mastro / Assistente de Produção: Luis Villaverde / Continuidade: Guilherme Aranha / Direção de Fotografia: Felipe Chiaramonte / Direção de Arte: Helô Duran, Francisca Thomé e João Paulo Siqueira Lopes / Som: Uira Wagner / Montagem: Léo Zaia / Elenco: Nyrce Levin, Angela Barros, Sara Sarres, Leonardo de Vitto e Rodrigo Dorado.
Prêmio de Melhor audiência do Wildsound’s Film Festival (Canadá, 2009).

Também continua em cartaz, até o dia 24 de junho, o curta Quarto de Espera, de Bruno Carboni e Davi Pretto, na Sala Paulo Amorim, na sessão das 19h.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Projeto Curta nas Telas segue exibindo o filme gaúcho Quarto de Espera

O projeto Curta nas Telas segue exibindo até o dia 24 de junho o curta Quarto de Espera, de Bruno Carboni e Davi Pretto, na sessão das 19h, na Sala Paulo Amorim da Casa de Cultura Mario Quintana, acompanhando o longa O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus, de Terry Gilliam.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Entra em exibição curta gaúcho Quarto de Espera


O projeto Curta nas Telas exibe de 11 a 24 de junho o curta Quarto de Espera, de Bruno Carboni e Davi Pretto, na Sala Eduardo Hirtz da Casa de Cultura Mario Quintana, nas sessões das 15h e 19h, acompanhando o longa Tudo Pode Dar Certo, de Woody Allen.

Excepcionalmente, no dia 15 de junho, em virtude do jogo do Brasil na Copa, a sessão ocorrerá somente às 20h.

O filme Quarto de Espera é o quinto dos 12 filmes selecionados na 35ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição. Usando uma linguagem metafórica, o filme mostra um personagem que se isola do contato com os outros, do contato com a realidade apocalíptica de violência, caos e apatia.

O crítico Luiz Soares Júnior (colaborador da Revista Cinética) escreveu que o uso de metáforas em cinema é algo perigoso, mas que a metáfora em Quarto de Espera cumpre exatamente a função que se espera dela e o filme todo acaba por respirar a irrespirável experiência de um sujeito que se enclausura dentro do corpo-fortaleza. O ponto de vista se objetiva, se faz matéria; matéria opaca, turva, mas trabalhada com a precisão siderúrgica que lhe infunde, no timing exato do corte e no encadeamento sincopado dos planos, a sombria densidade de um pesadelo feito carne.

Quarto de Espera, de Bruno Carboni e Davi Pretto (Rio Grande do Sul, Ficção, 13 minutos, cor, 35mm, 13min, 2009) – Classificação indicativa 14 anos.

Sinopse: Um jovem usando uma máscara de gás transita em uma cidade vazia e cinzenta.

Premiação: Melhor Direção de Arte – 13º Festival Audiovisual do Mercosul – FAM 2009 / Menção Honrosa da ABD&C – 14º Festival Brasileiro de Cinema Universitário – 2009 e no Prêmio Revelação – 20º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo – Kinoforum – 2009.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Projeto Curta nas Telas exibe Alguém Tem que Honrar esta Derrota!


O projeto Curta nas Telas apresenta de 28 de maio a 10 de junho o curta Alguém Tem que Honrar Essa Derrota!, de Leonardo Esteves, na Sala 03 do Guion Center, nas sessões das 15h e 20h45, acompanhando o longa Os Homens que não Amavam as Mulheres, de Niels Arden Oplev.
O filme de Leonardo Esteves é o quarto dos 12 filmes selecionados na 35ª edição do Curta nas Telas a entrar em exibição. Alguém Tem que Honrar Essa Derrota! se inspira com criatividade na fonte do cinema marginal e apresenta um humor ácido. Não há preocupação com a continuidade e com uma narrativa fluida. A própria sinopse de Alguém Tem que Honrar Essa Derrota! ironiza: “Um filme rodado no carnaval, sem roteiro, sem claquete e sem fotômetro”.

Alguém Tem que Honrar Essa Derrota!, de Leonardo Esteves (Rio de Janeiro, experimental, 7min30seg, P&B, 35mm, 2009) – Classificação indicativa 12 anos.
Ficha técnica – Roteiro, Direção de Produção e Produção Executiva: Leonardo Esteves / Direção de Fotografia: Dib Lutfi / Direção de Arte: Liane Esteves / Montagem: Marise Farias / Música Original: Daniel Vasques / Produtora: Filmes da Garotada / Elenco: Ricardo Vooght, Haroldo Paulino e Flávio Leandro de Souza.
Premiação – Menção Honrosa cinema experimental brasileiro no 16º Vitória Cine Vídeo (2009)

terça-feira, 25 de maio de 2010

Disputa entre o Diabo e o Padre pela Posse do Cênte-for na Festa do Santo Mendigo segue em cartaz

O projeto Curta nas Telas continua exibindo até o dia 27 de maio o curta Disputa entre o Diabo e o Padre pela Posse do Cênte-for na Festa do Santo Mendigo, de Eduardo Duval e Francisco Tadeu, na Sala 06 do Cinemark Bourbon Ipiranga, nas sessões das 18h40 e 21h15, acompanhando o longa Chico Xavier – O Filme, de Daniel Filho.